Os caminhos das M&Ms

Tailândia (2a parte): A costa de Andaman e Bangkok

A nossa viagem na Ásia termina com as famosas praias do Sul da Tailândia, escolhemos a costa de Andaman (do lado Oeste) para esta nossa primeira descoberta da região (o golfo de Tailândia, do lado Leste, é tão lindo quanto, mas tem mais chuva neste período do ano). Depois de ter andado para cima e para baixo no sudeste asiático com as mochilas durante quase 3 meses, foi muito bom esses últimos dias de descanso na praia, sem contar que as praias realmente são lindas e o mar é quentinho, condições ideais para aproveitar ao máximo!

0_geral2

Ko Lipe

Depois da rápida passagem pela Malásia, chegamos em Ko Lipe, na Tailândia, uma praia que nos deixou de queixos caídos de tão linda, fica no Sul da costa de Andaman, simplesmente fantástica, realmente ainda não tínhamos visto o mar daquela cor, um verde turquesa lindo de admirar!

1_KoLipe

Nesta ilha haviam vários passeios de barco para conhecer as outras ilhas ao redor do parque nacional Koh Tarutao, nos pareceu bastante simpático, poderíamos observar os peixinhos com as máscaras de mergulho e ainda conhecer novas praias, mas como sempre pra variar um pouco estávamos apertadas no planejamento só passaríamos dois dias naquele paraíso! Resolvemos ficar na praia e aproveitar daquela magnífica paisagem!

Não foi preciso ir muito longe para achar os peixinhos e os corais que eram bem coloridos e lindos de se ver! Claro que a Malu encontrou um bar em frente à praia e lá ficou durante todo o dia a admirar aquele dia que realmente era lindo! Maic por sua vez, inquieta para uma atividade com mais movimento que a simples admiração da natureza, já foi logo a procura de uma máscara para sair mergulhando naquele mar convidativo!

A praia que leva o nome de Sunrise, tinha tudo que era necessário pra felicidade de todos, as máscaras de mergulho estavam à disposição para que ela fosse fazer seu passeio e ver o fundo daquele mar que nos deixou maravilhadas!

Maic aproveitou para ir mais longe e atravessou a nado enquanto admirava os corais para a ilha em frente à praia, porém de vez em quando os barcos atravessavam de um lado pro outro e digamos que era um pouco estressante pra ela que ficava sem saber se o barco ia ou não vê-la no trajeto! Mesmo assim ela continuou e chegou do outro lado da ilha e ficou feliz da vida! De volta ao bar em que estávamos o dono do bar lhe ofereceu um cocktail lhe felicitando pelo feito! Acreditamos que ele nunca tinha visto uma mocinha mais louca que Maic antes! Aquela travessia não era muito fácil!

Ko Mook

2_KoMook

Depois de Ko lipe, subimos em direção norte, e paramos numa pequena ilha chamada Ko Mook (ou Ko Muk, se escreve dos dois modos) uma pequena ilha pouco conhecida, entre Ko Lipe e Ko Lanta. Não era tão linda como a inesquecível Ko Lipe, mas tinha uma caverna chamada Emerald Cave! Ficamos sabendo desta caverna através de nossa amiga Rose, ótima dica por sinal!

Partimos em direção à caverna para a visitação, fomos cedo para não chegarmos com muitas pessoas ao mesmo tempo, fomos o segundo barco a chegar! E lá fomos nós dentro da água no escuro para conhecer a tal Caverna Esmeralda! Claro que a Malu estava morrendo de medo, pois no início da caverna não era possível ver nada,  mas pensando nas palavras da Rose que a encorajou para esta visita, e estando já dentro da água, não ia desistir!

Alguns metros depois começamos a ver as luzes na caverna, era realmente magnífico! Só estando lá pra sentir e ver! Era mágico! Um pouco mais à frente chegaríamos a bela praia, charmosa, bem pequena, saíamos da caverna e como num passe de mágica estávamos na praia! Infelizmente o sol ainda não estava completamente atingindo por completo aquela parte da praia, não era ainda tão linda a cor da água como era dentro da caverna, para isso teríamos que esperar o meio dia, mas por outro lado, estávamos tranquilas aproveitando daquela beleza toda com poucas pessoas à nossa volta! Éramos 4-6 pessoas somente, a paisagem muda completamente quando fica muito lotado… E pudemos sentir a paz e a tranquilidade dessa maravilha que encontramos no nosso Caminho!

3_EmerauldCave

A continuação foi sentido Ko Kradan uma pequena ilha em frente a praia de Ko Mook, com praias magníficas. O céu estava coberto e novamente as cores da água não eram tão lindas quando passamos no dia anterior e havíamos visto pelo barco, parecia mais um paraíso, mas no dia de nossa visita o sol se escondeu, ainda assim era muito bonito, e aproveitamos para mergulhar e ver os peixinhos, que não eram poucos! A poucos metros da água já se avistava o enorme número de peixinhos de todas as cores! Era tão irresistível que desta vez a Malu foi também com sua máscara ver essa maravilha de mar!

4_KoKradan

Pra terminar neste dia tivemos a presença do sol pra um entardecer maravilhoso, neste lugar que não vamos esquecer nem tão cedo! Assistimos ao por do sol da piscina do hotel (que ninguém é de ferro!) e os frutos do mar grelhados foram bem vindos!! Já estamos com saudades dessa passagem pela Tailândia! Que férias…

5_KoMook_Hotel

Ko Lanta

A próxima etapa era a ilha Ko Lanta, foi uma pequena passagem rápida, mas também bastante agradável, passeamos entre as praias de Klong Khong e Klong Nin, e escolhemos o hotel Coco Lanta Resort, bastante agradável. Pequena parada de descanso também, Ko Lanta não era das mais belas ilhas, mas passamos agradáveis momentos por lá!

6_KoLanta

Ko Phi Phi

De Ko Lanta, pegamos um barco para Ko Phi Phi, uma das ilhas mais conhecidas da costa de Andaman, a paisagem muda bem rápido, com formações rochosas tipo cársica, uma característica da região. Foi nesta a ilha onde foi feita a filmagem do filme ‘’A Ilha’’ com Leonardo de Caprio.

8_PhiPhi

É muito bonito e fascinante. Sabíamos que a ilha era bastante frequentada por jovens e que a noite era bastante cheia de badalação, muitas pessoas nos disseram que era muito exagerado e que não haviam gostado. Pensando nisso resolvemos visitar a ilha num passeio de barco saindo para Ko Phi Phi Leh e passamos a noite na baia de Maya Bay, a famosa do filme. Após todas as excursões do dia partirem (somente nosso tour tinha autorização de ficar a noite na praia, pois é um parque nacional), ficou somente nosso grupo na praia, (por volta de 20 pessoas), o ambiente era bom, porém o barco não era dos mais confortáveis, o barco balançava bastante, e a Malu precisou tomar um comprimido para conseguir dormir! Gostamos bastante do passeio mesmo com todo balanço do mar, mas o preço era muito exagerado, não faríamos de novo!

7_MayaBay

As ilhas de Ko Phi Phi e Ko Phi Phi Leh são ilhas magníficas e muito lindas, merecem mesmo a reputação que tem, é por isso que estão sempre lotadas!! Mas, lotadas ou não, visitar estas ilhas é um passeio imperdível na Tailândia!

Krabi: Railey et Tonsai

De Ko Phi Phi, fomos para Railey, que se localiza perto de Krabi. Ficamos em Tonsai que fica bem do ladinho (a praia é menos bonita, por isso tudo fica mais barato e é o local preferido das pessoas que gostam de escalar montanhas).

Nesta região também podemos encontrar as rochas do tipo cársicas, que são bastante impressionantes. A cor da água não é tão bela como em Ko Phi Phi, mas a paisagem é linda. Fizemos um pequeno passeio de caiaque para explorar uma parte da região e as cavernas. No dia seguinte nos inscrevemos em um passeio chamado de Deep Water Soloing (A Maic se inscreveu, a Malu foi para tirar as fotos, alguém tem que fazer o serviço pesado!)

Este passeio consiste em escalar a rocha e saltar do ponto mais alto de onde a pessoa consegue chegar, estávamos num grupo grande, mas foi bem simpático e a Maic conseguiu fazer algumas acrobacias, temos um vídeo graças a Malu que trabalhou direitinho! A saltadora Maic gostou muito da nova experiência, quem sabe ela se inscreve pra participar das olimpíadas no Rio!

9_tonsai

Ko Yao Noi

Entre Krabi e Pukhet, localizado no golfo de Phang-Nga, se encontra a ilha de Ko Yao, constituída de duas ilhas, Ko Yao Noi ao norte e Ko Yao Yai ao sul. Nestas ilhas é tudo diferente, poucos turistas, pouca infraestrutura, os moradores continuam a viver sem as influências turísticas, diferentemente das ilhas vizinhas Krabi e Pukhet. As praias realmente não são tão lindas como outras que vimos na região (em algumas quase não se ve a agua em certas horas do dia), mesmo assim tem sua beleza e charme. Os principais turistas que visitam estas ilhas, são os que buscam paz e tranquilidade, ou aqueles que gostam de escalada. Um dos locais de escalada (falésias somente acessíveis de barco, onde se inicia as vias de escaladas a partir da água através de escadas que levam ao ponto de partida) estava fechado e havia um outro local perto de um resort 4 estrelas (Paradise Ko Yao Resort), também acessível de barco. Então fomos em direção ao local disponível no momento que era o do resort.

Maic estava interessada em fazer um pouco de escalada, mas a Malu como não gosta deste tipo de esporte ‘’perigoso’’, foi acompanhá-la no intuito de ao finalizar a escalada, dar uma passadinha para conhecer o resort Paradise e quem sabe se refrescar tomando uma cervejinha. Nada mal? Se não fosse a interdição aos alpinistas… pensamos que deveria ser por algum abuso ocorrido em algum momento. Mas tentamos nossa sorte mesmo assim, finalmente com um papinho aqui, outro lá, a Malu fez uma carinha de coitadinha sedenta, não arredou o pé da entrada, como quem não iria mesmo sair, e ficava repetindo ‘’moço não temos agua, estamos com sede, please’’ Enfim nos deixou entrar! Gostamos muito do resort, poderíamos até ter ficado para dormir, mas nosso orçamento dava pra pagar somente pelas cervejas e a agua!

10_KoYaoNoi

Bangkok

Depois de todo nosso percurso das ilhas tailandesas, já era tempo de chegar em Bangkok, onde passaríamos nossos últimos dias da parte Asiática da viagem (e visitarmos finalmente a capital). Achamos um preço imbatível: 15 euros por pessoa (com bagagem) sem titubear pegamos o avião e não o ônibus! Foi um luxo! Chegamos em Bangkok, retornamos no mesmo hotel que havíamos apreciado bastante em nossa primeira passagem pela cidade (Riverview Guesthouse), aquele com uma vista esplêndida para o rio quando estávamos no restaurante no último andar.

Durante 3 dias, não conseguimos, não foi um tempo hábil para entender toda a cidade, era tudo ainda confuso. Talvez pelo fato de não termos visitado a cidade durante a noite, não sentimos toda a efervescência que faz a reputação de Bangkok. Fizemos todos os tipos de passeio, de barco, de bicicleta, a pé, andamos bastante pela cidade, mas não saímos convencidas, não vimos a cidade dos ‘’filmes’’!

De bicicleta, vimos o caos da circulação da cidade, não era o meio de transporte muito ideal (pior que São Paulo). Visitamos os principais pontos turístico da cidade, começando pelo Palácio Real e o templo do Buda de esmeralda (Wat Phra Kaeo, estava muito lotado), o templo do Buda deitado (Wat Pho) e o Wat Arun. Todos estes pontos se encontram na mesma região, na cidade velha. E são realmente impressionantes, mesmo que estivéssemos cansadas de visitar templos, estes eram realmente especiais, diferentes e bem bonitos também.

Tiramos um tempinho para fazer compras, mas também não ficamos muito contentes, pois o shopping MBK onde pensamos encontrar bons produtos de informática, não encontramos nada que nos sentíssemos seguras para comprar. Visitamos a casa de Jim Thompson, que é um bom exemplo da arquitetura e da decoração tailandesa, demos uma passada também em Ko San Road, o bairro dos mochileiros, zona bastante turística mas bastante animada.

Não poderia faltar um mercado flutuante, visitamos e almoçamos um peixinho fresco! Pegamos um barco para visitar as proximidades e gostamos bastante, embora seja bastante turístico como passeio!

E finalmente em nosso último dia em Bangkok, fomos a um dos prédios mais altos da cidade para tomar uma cervejinha e olhar de cima a cidade, neste prédio no último andar temos uma visão de 360 graus e o bar fica no último andar, ao ar livre, tomamos nossa cervejinha e depois não resistimos a um dos coquetéis também!

Aproveitamos pra dar uma passadinha no bairro chinês, que era do lado do nosso hotel, e claro não resistimos aos lindos camarões grelhados que podemos ver em quase todos os restaurantes ou barraquinhas nas ruas!

11_Bangkok

Nossa viagem pela Ásia termina aqui, nos vemos num próximo post desta vez, na Oceania!!

Detalhes práticos e recomendações :

Entre as ilhas da costa de Andaman que visitamos, claramente a de Ko Lipe, foi a que mais gostamos, teríamos ficado muito mais tempo. A ilha é muito charmosa além de linda! Não é ainda muito frequentada a cor da água é realmente esplêndida. As possibilidades de mergulho com máscara e os passeios de barcos são variados, e o parque nacional Koh Tarutao é do lado, enfim só alegria!

Entre Ko Lipe e Ko Lanta, as ilhas são pouco frequentadas, tem umas ilhas muito bonitas, mas elas são muitas vezes muito pequenas e não tem muita coisa para fazer, mas se vocês procuram descanso e tranquilidade, é o destino perfeito!

As opiniões sobre Ko Phi Phi e Phuket são divididas, alguns acham que é ótimo maravilhoso, outros acham que esses são destinos muito festeiros e não gostam do ambiente. Não fomos para Phuket, mas em Ko Phi Phi, é só se afastar um pouco do centrinho (o pequeno vilarejo de Tonsai) para ter tranquilidade, se é o que vocês procuram (bom isso vai custar um pouco mais). A mesma coisa deve valer para Phuket (é só escolher outra praia que Patong Beach). Enfim, o lodo jovem e festeiro não deveria desencorajar em visitar essas ilhas, que são muito bonitas.

Na região de Krabi, no que se refere às praias, a escolha é entre Ao Nang (mais central e acessível) ou Railey/Tonsai (acessíveis apenas de barco). Railey e Tonsai são muito próximas, na verdade tem que diferenciar Tonsai, Railey Oeste e Railey Leste. A praia a mais bonita e a mais animada é Railey Oeste, as praias de Railey Leste e Tonsai não tem praia propriamente dita na maré baixa (fica lamacento). Podemos chegar em Railey Oeste a partir de Tonsai em cerca de 20 minutos, pela praia na maré baixa ou pegando uma trilha abaixo da falésia na maré alta. Também é possível pegar um barco longtail para atravessar de uma praia para outra, mas é um pouco caro, a não ser que consiga compartilhar o barco com outras pessoas. Entre Railey Leste e Railey Oeste, talvez seja 15 minutos de caminhada (dependendo onde vocês ficam), é plano e atravessa resorts e/ou lojas.

No que se refere à (sobre)frequentação das ilhas em plena alta temporada (dezembro), bom comparado ao Brasil (e os seus 200 milhões de habitantes que adoram a praia), não é tão terrível! A diferença é realmente que na Tailândia é cheio de turistas estrangeiros enquanto no Brasil é cheio de turistas nacionais. Nota-se que na França também, a Costa Azul em agosto é muito cheia!! Fazer o que! Para evitar a multidão, o melhor é privatizar um longtail e sair de manhã cedo! Os speedboat muitas vezes chegam na mesma hora nos pontos turísticos e pode realmente ficar muito lotado (e muito lotado de grupos organizados vindo de outras ilhas).

Para dormir no sul da Tailândia, os preços foram os mais altos de toda nossa viagem pela Ásia, e claro estávamos na alta temporada, e na praia ainda mais caro, e a reputação destas praias fazem o preço subir ainda mais. Também era o final da nossa viagem na Ásia e queríamos aproveitar um pouco e descansar nas praias, passar férias de verdade!

  • Ko Lipe : pra quem pode gastar um pouco mais, fique em um resort em frente a praia Sunrise (por ex. o Satun Dive Resort, parecia realmente muito bom, mas realmente um pouco caro $100/noite), lembrando que os barcos chegam do outro lado da ilha na praia Sunset, mas a ilha é bem pequena, mais ou menos 30min de caminhada ou 10 min em um tuk tuk, então nada demais! Nós nos hospedamos no Gecko Lipe Resort, era bem simpático mas um pouco longe da praia (10-15min a pé, nada mal no final), 40$/noite sem ar condicionado e sem café da manhã, wifi somente na recepção e em bangalôs próximos a recepção.
  • Ko Mook : nos hospedamos no Charlie Beach Resort, com piscina e de frente para o mar, não é tão charmoso quanto os outros resorts mais caros (não podemos ter tudo na vida!), 40$/noite para os bangalôs mais simples (sem ar) mas com café da manhã incluso…
  • Ko Lanta : nos hospedamos no Coco Lanta Resort, gostamos bastante $55/noite com ar e café da manhã incluso, na praia de Klong Khong, bem localizado não tem muitas pedras na água e é possível tomar um banho de mar dependendo da maré (mais que no sul, pois as pedras nas praias dificultavam bastante).
  • Ko Kradan : A ilha é muito pequena e tranquila (exceto quando os speedboats dos passeios de um dia chegam pelas 11h-12h). Existem vários resorts, do mais simples ao mais luxuoso, todos em frente ao mar, e a praia é sensacional!! Os resorts mais simples ficam a direita (olhando de costas para o mar).
  • Ko Phi Phi : as hospedagens mais baratas ficam em Tonsai Village, onde chegam os barcos. Os resorts e hospedagens mais legais e calmos ficam um pouco mais longe, por exemplo em direção de Long Beach (praia acessível por 20/30min de caminhada, ou por barco). Passamos pela agência Maya Bay Tours (www.mayabaytours.com) para passar a noite em Maya Bay, mas não recomendamos. Durante o dia, é verdade que tem muita gente, mas para evitar a multidão, é possível ir para Maya Bay de longtail de manhã cedinho (o parque abre as 7h30, a ser verificado) ou no final da tarde (depois das 17h). o tour de barco ao redor da ilha de Ko Phi Phi Don vale a pena (com várias paradas para snorkeling e para conhecer praias, como Bamboo Island, Mosquito Island, Monkey Beach, Shark Point et possibilidade de continuar até Phi Phi Leh, Maya Bay, Vinking Cave, etc.), não fizemos esse passeio e foi uma pena.
  • Tonsai/Railey : As hospedagens mais caras ficam em Railey Oeste. Ficamos no Dream Valley Resort, em Tonsai, que tem uma piscina e um bom café da manhã, porém não tem internet (desta vez nem na recepção), também não tinha um bar ou restaurante. As áreas comuns não são muito bem cuidadas, o preço é $45/noite com ar e com café da manhã. Em Tonsai, os hotéis e os comércios em geral ficam longe da paria (e sem vista para o mar), tem apenas um restaurante do lado da praia.
  • Ko Yao Noi : nos hospedamos no Koh Yao Seaview Bungalow, bangalos de frente para o mar (mas a praia na maré baixa, não existe, é lamacento e a água some), é uma pequena guesthouse familiar bastante acolhedora e gentil, mas achamos um pouco caro (a ilha é menos turística que as outras), $40/noite com ar. Do lado, o Baan Tha Khao Bungalow parecia bom também (ou até melhor) e menos caro (pelo menos para os quartos sem ar).
  • Bangkok : Riverview Guesthouse, hotel de frente para o rio Chao Praya, bela vista do restaurante no último andar do edifício. Quartos de diferente tipos e faixas de preço (desde $8/noite/pessoa em dormitório sem ar até $50/noite para um quarto com vista para o rio e ar condicionado).

 

2 comentários sobre “Tailândia (2a parte): A costa de Andaman e Bangkok

Deixe uma resposta